24 de jul. de 2011

Tudo Tem Um Tempo...

Tudo tem um tempo...

Há o tempo de chegar e o tempo de ir...

Há o momento de fazer sorrir e aquele em que se faz chorar...

Nenhum desses momentos deve ser esticado por um tempo indeterminado.

Tudo deve ser sentido e vivido em seu espaço pré-definido ou costumeiro.

Prolongar o riso ou a dor, é desviar-se da normalidade, torna-se assim, doentio.

Se uma gargalhada posterior não pode ser contida, o histerismo tomou conta...

Se uma tristeza passa a ser reincidente e duradoura, é deprimente.

Se uma saudade não se acalma, é inconformismo.

Nada deve ser longo demais...

Quando se der conta, de um desses estados de alerta, respire fundo e tente pensar racionalmente.

Destitua-se de todo e qualquer objeto ou atitude, que o leve a tais emoções ou sentimentos.

Mude a rotina, guarde lembretes, evite lugares, "mude o disco" e busque novos pensamentos e atividades.

Distancie-se daquilo que lhe provoca recordações...

Não permita que nada, ou ninguém, sobreponha-se a você mesmo!

Se ocuparmos nossa mente, com lembranças ou fantasias distantes, não deixamos espaço para assimilar o novo.

Tudo tem um tempo para acontecer...

O passado só deve ser lembrado momentaneamente, para que não percamos o foco da realidade.

O presente deve ser vivido intensamente, respeitando o tempo necessário para acontecer.

O futuro é um tempo que virá, onde o presente será por alguns momentos relembrado e o passado, quase esquecido.

Manter-se conectado por muito tempo com velhas experiências, é ocupar-se demasiadamente no presente e deixar um vazio no futuro.

De todas as situações, tente guardar apenas fragmentos...

Fragmentadas o bastante, para que ao lembrá-las, tenham tempo apenas de causar em nós, um breve sorriso, ou um leve marejar nos olhos.

Assim como uma gargalhada que demos um dia, não irá nos fazer gargalhar novamente; lágrimas outrora vertidas, também não devem nos fazer chorar mais.

Tudo tem um tempo para acontecer...

Mas só permita que aconteça, com intensidade, no tempo presente!

Reviver o que passou, é ocupar-se do que não volta mais...

É privar-se de novas emoções...

E lamentar depois, o tempo perdido.

Lembre-se que tudo tem um tempo...

E tempo que se prolonga demais, é vida que se perde!

By Nádia Tayar


2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...